janeiro 2014 » We Love Cherry
24
jan
SINTONIA SEMANAL: Espiritualidade Proativa

POR YEHUDA BERG

As pessoas tendem a rezar mais quando estão com problemas.

Não importa quanto achemos que somos evoluídos espiritualmente, todos nós fazemos isso de uma forma ou de outra. Quando as coisas dão errado, começamos a reavaliar nossas vidas. Decidimos começar a fazer cada dia contar, decidimos compartilhar mais com aqueles que amamos e nos dedicar a uma vida regida por princípios espirituais.

Era a isso que meu pai e mestre, Rav Berg, frequentemente se referia como Espiritualidade Reativa. Na verdade, pode ser que a Espiritualidade Reativa o tenha trazido para o caminho espiritual no início. Talvez você estivesse passando por momentos difíceis e precisasse de uma orientação ou talvez sentisse um certo vazio, um anseio por algo mais.

Eventualmente, para permanecer no caminho espiritual, é essencial mudar para a Espiritualidade Proativa.

Não precisamos esperar que as coisas deem errado em nossas vidas para nos motivarmos a mudar. Não precisamos das chamadas de atenção para começar a tomar alguma ação. Não queremos uma vida de altos e baixos, de dias bons e dias ruins, de altos extremos seguidos de quedas bruscas. É 100% possível ter cada dia um pouco melhor que o anterior, ser um pouco mais forte hoje do que ontem e estar um pouco mais próximos da plenitude total.

Quando as coisas estiverem bem, podemos usar essa energia e aplicá-la para fazer o bem para os outros. Quando a vida estiver ótima, esse é o momento em que devemos desejar nos comprometer mais com a mudança e com o crescimento pessoal, sair da nossa zona de conforto e amar nosso próximo de forma mais incondicional.

Esse é caminho para a Espiritualidade Proativa.

É da natureza humana, em seus momentos mais sombrios, procurar a Luz. Mas é o que fazemos nos momentos em que sentimos a Luz que nos fará passar melhor por nossas horas mais escuras.

Screen Shot 2014-02-20 at 01.40.20

 


Newsletter

Acompanhe nas redes sociais!

Compartilhe


23
jan
Canguru ou Sling?

Oi, meninas!

Tudo bem? Aqui tudo ótimo. Hoje está um dia lindo, de frio e muito sol!

Vou aproveitar que a Nina está dormindo e a Bella está com a “vóvis” (novo apelido da vovó) e vou dividir com vocês meu novo queridinho e atual NÃO VIVO SEM: o Agility Stretch Carrier da JJ Cole.

Screen shot 2014-01-22 at 10.33.01

Screen shot 2014-01-22 at 10.30.49

Para vocês entenderem o porquê de ser meu queridinho, vou contar toda minha experiência com o slings e cangurus.

Quando estava fazendo o enxoval da Bella, comprei o canguru da Gucci. Quase morri com dor nas costas quando usei pela 1ª vez! Apesar de ser lindo, não achei nada confortável. A Bella também não gostou muito. Tentei um outro modelo tipo canguru, mas também não deu certo.

Na gravidez da Nina, uma das coisas que aprendi durante minha preparação para o parto foi a importância do contato pele a pele com o bebê. O quanto esse contato traz benefícios importantes para mãe/pai e bebê.

Na Colômbia, desde 1979, existe o Método Canguru. A escolha do nome se deve a maneira que as mães carregam seus bebês. O bebê  sem roupa ou quase sem roupa é colocado sobre o colo da mãe para que fique em contato diretamente com a pele da mesma.

O objetivo desse método é promover, por meio do contato pele a pele precoce entre a mãe e o seu bebê, maior vínculo afetivo, maior estabilidade térmica e melhor desenvolvimento, e  consequentemente baratear os custos da assistência perinatal.

Mães que participaram do Método Canguru relatam que é uma experiência maravilhosa, que além de aumentar o vínculo de amor entre mãe e filho, os bebês ganharam peso rapidamente e tiveram alta hospitalar mais cedo do que o previsto.

Esse método é utilizado em mais de 30 países e é parte da política de saúde pública no Brasil há mais de 15 anos. Muitas bebês são salvos com esse método simples e revolucionário.

Método Canguru.

Método Canguru.

sling pode proporcionar esse contato pele a pele e, consequentemente, muitos outros benefícios para os bebês e mães/pais.

Aqui vão alguns deles:

Para a mamãe/papai

– facilita a locomoção. Você pode caminhar por calçadas e terrenos irregulares, ruelas estreitas, subir e descer escadas, entrar a locais com muita gente sem bater em ninguém com o carrinho, etc.;

– permite você interagir com outras crianças ou filhos e ainda assim manter seu bebê por perto e seguro;

– promove uma amamentação discreta;

– ajuda a aumentar a conexão mãe e bebê;

– deixa as mãos livres. Você pode fazer compras, caminhar, passear, ler um livro…

Alguns benefícios para o bebê

– auxília na redução das cólicas;

– promove um desenvolvimento emocional saudável, pois dá mais segurança ao bebê;

– é benéfico para o desenvolvimento físico do bebê;

– os bebês tem uma melhor visão do mundo! (bebês em carrinhos vem o mundo a altura dos joelhos de um adulto);

– ganham independência mais rapidamente;

– são mais felizes, se sentem mais amados e seguros;

– aprendem mais;

– é a solução natural para o sono do bebê. Você acalma e agrada seu bebê com seu calor, sua voz, seus movimentos e o batimento de seu coração.

Com a Nina recém-nascida, usei um wrap sling (da Moby). Ela amava! E eu também! Ficávamos juntinhas, não dava dor nas costas e ainda matava as saudades da barrigona de grávida (sim, você vai sentir saudades dela!).

O seu único defeito era ser muito trabalhoso para colocar. Imagina enrolar uma faixa de 5 metros em si mesma… Além disso, ao colocar o sling, por ser uma faixa beeem longa, ela acabava esbarrando no chão, o que não é nada legal considerando que o bebê vai ficar enrolado nesse tecido.

Quando tinha que dirigir, eu tinha que tirar e recolocar o sling todas as vezes que fosse entrar/sair do carro para colocar a Nina na cadeirinha. E por esses motivos, acabei usando o sling menos do que gostaria. O que foi uma pena…

Aqui em Miami sair com duas filhas não tem sido muito fácil, (ainda mais sem babá). E foi aí que voltei a pensar no sling.

Vi um pai carregando o seu bebê feliz num sling diferente e procurei por um igual. Fui na Buy Buy Baby (uma das lojas mais completas para bebês e crianças daqui de Miami) e encontrei duas opções bem bacanas: o Agility Carrier da JJ Cole e o Baby Carrier da Baby K’Tan.

Acabei optando pelo primeiro, mas acho que o outro também é muito bom, pois segue a mesma linha: sling mais prático e estruturado. O preço ficou em torno de U$40 (aproximadamente R$110,00). E vende também na Amazon, na Babies’R’Us, na Target e na Diapers.com.

A Nina está adorando o novo sling! E eu também! Ele é diferente do wrap sling e dos cangurus que já usei. Eu coloco e tiro quantas vezes forem necessárias, pois é muito simples e prático, veste como uma camiseta. E não dói a coluna!

Detalhe das costas do Agility Baby Carrier.

Detalhe das costas do Agility Baby Carrier.

Cada vez mais mães e pais estão aderindo aos slings e cangurus. Antes era um hábito arraigado entre povos de regiões da Ásia e da África, mas agora tem adeptos no mundo todo. Até as mães-celebridades Julia Roberts, Gisele Bundchen, Angelina Jolie, Camila Alves estão usando.

Screen shot 2014-01-21 at 13.37.12

Screen shot 2014-01-21 at 13.35.27

Screen shot 2014-01-21 at 13.30.44

Screen shot 2014-01-21 at 13.33.03

Screen shot 2014-01-21 at 13.34.23

Screen shot 2014-01-21 at 13.35.52

Independente do modelo, se sling ou canguru, o importante é o contato mãe/pai e bebê. Quanto mais contato, mais benefícios para os nossos pequenos!

Amor & Luz,

Lala Cerri

 


Newsletter

Acompanhe nas redes sociais!

Compartilhe


20
jan
Martin Luther King, Jr.

Hoje aqui nos Estados Unidos é feriado. É o MLK Day, em português o Dia de MLK ou o Dia de Martin Luther King, Jr..

Nascido em 15 de janeiro de 1929, em Atlanta, Martin Luther King, Jr. foi um importante pastor evangélico e ativista político norte-americano.

Lutou em defesa dos direitos sociais para os negros, tornando-se um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos e no mundo.

Sempre com uma campanha de não violência e de amor ao próximo, seus esforços levaram à Marcha sobre Washington de 1963, onde ele fez, nos degraus do Lincoln Memorial em Washington, D.C., seu mais famoso discurso, “I Have a Dream” (Eu Tenho um Sonho).

Eu tenho um sonho. O sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor de sua pele…

Nesse discurso, ele falava da necessidade de união e coexistência harmoniosa entre negros e brancos. Foi um momento decisivo na história do Movimento Americano pelos Direitos Civis.

A partir daí, ele estabeleceu sua reputação como um dos maiores oradores na história americana.

Seu discurso foi eleito o melhor discurso dos americano do século XX numa pesquisa feita no ano de 1999.

Screen shot 2014-01-20 at 11.06.03

Em 14 de outubro de 1964 King recebeu oPrêmio Nobel da Paz, pelo o combate à desigualdade racial através da não violência. Nos próximos anos que antecederam a sua morte, ele expandiu seu foco para incluir a pobreza e a Guerra do Vietnã.

King foi assassinado em 4 de abril de 1968, em Memphis, Tennessee.

Ele recebeu postumamente a Medalha Presidencial da Liberdade em 1977 e Medalha de Ouro do Congresso em 2004.

Dia de Martin Luther King, Jr. foi estabelecido como um feriado federal dos Estados Unidos em 1986. O feriado em sua homenagem é sempre na 3ª segunda-feira do mês de janeiro. Centenas de ruas nos EUA também foram renomeadas em sua homenagem.

Clique aqui para ver na íntegra o discurso que entraria para a história mundial e viraria até música, “I Have a Dream”.

Screen shot 2014-01-20 at 10.54.30

7 citações para você se inspirar no MLK Day:

A questão mais persistente e urgente da vida é: “O que você está fazendo pelos outros?”

Você não só é responsável pelo que você fala, mas também pelo que você não fala.

O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.

Fé é dar o primeiro passo mesmo quando você não vê toda a escada.

O que vale não é o quanto se vive…mas como se vive…

Nossas vidas começam a terminar no dia em que permanecemos em silêncio sobre as coisas que importam.

Nós não somos o que gostaríamos de ser.
Nós não somos o que ainda iremos ser.
Mas, graças a Deus,
Não somos mais quem nós éramos.

Amor & Luz,

Lala Cerri


Newsletter

Acompanhe nas redes sociais!

Compartilhe