Síndrome do Bebê Sacudido » We Love Cherry
17
jan
Síndrome do Bebê Sacudido

Oi, queridas! Tudo bom?

Por aqui tudo ótimo! Nina fez 5 meses essa semana!

Ainda me sinto em falta com vocês por não postar tudo o que tenho visto de legal (taaaanta coisa), mas aos poucos vou colocando todas as dicas aqui, ok?! O meu desafio mais recente é escrever posts no tecladinho do ipad, que está completamente maluco! Kkkk

Hoje vou compartilhar com vocês um texto alarmante que li recentemente da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul que fala sobre a Síndrome do Bebê Sacudido (SBS).

Essa síndrome é pouco conhecida, mesmo entre profissionais de saúde e é uma causa importante de violência grave contra bebês e crianças até 3 anos, sendo mais comum até os quatro meses de idade.

Muitas vezes as lesões são causadas por brincadeiras violentas, embora a maior parte dos casos aconteça por uma adulto frustrado com o choro inconsolável do bebê.

sbs 1.1

Entenda sobre a Síndrome do Bebê Sacudido (SBS):

Conceito

Síndrome do Bebê Sacudido é o termo que descreve uma série de sinais e sintomas que ocorrem em conseqüência da sacudida manual vigorosa do bebê, sustentando-o por suas extremidades ou pelos ombros, o que causa forças de aceleração do cérebro dentro do crânio, com conseqüentes lesões. O grau de dano cerebral depende da quantidade, duração do sacudir e das forças que resultarem em impacto na cabeça.

Também é usado o termo Lesão Cerebral por Abuso, por causa da controvérsia que envolve a questão da possibilidade ou não de todos os bebês, com sérios danos cerebrais, a partir da “sacudida”, terem também experimentado trauma de impacto.

Sinais e sintomas

Variam em um espectro de alterações neurológicas secundárias (irritabilidade, letargia, tremores, vômitos) a primárias (convulsões, coma, estupor, morte). Estas crianças devem receber assistência médica imediata, pois estes traumas com freqüência causam hemorragia e lesão cerebral, ainda que não haja sinais externos de abuso (queimaduras, hematomas, escoriações. fraturas de crânio, fraturas múltiplas).

Fatores de risco

Além de todo um perfil de maior predisposição já conhecidos na violência à criança (situação de estresse, alcoolismo ou drogadição, pais com baixa idade, crianças debilitadas ou portadoras de deficiência), o choro costuma ser o gatilho mais comum para a ocorrência da Síndrome do Bebê Sacudido.

A criança pequena chora em média de duas a três horas por dia, e 20 a 30% das crianças excedem substancialmente este tempo. Crianças choram freqüentemente em uma base aparentemente irracional, e podem não responder à tentativa inicial de um pai para os confortar. Chorar fica particularmente problemático entre a sexta semana de nascimento ao quarto mês de vida, o que coincide com a incidência maior da Síndrome do Bebê Sacudido.

Pais e outros provedores de cuidado precisam saber que permitir a um bebe chorar é certo, desde que todas as sua necessidades tenham sido satisfeitas.

Predisposição

Embora a identificação dos casos de Síndrome do Bebe Sacudido, na maioria das vezes, passe desapercebido em quase todos os serviços de atendimento a crianças, podemos observar que:

– o pai biológico é o agressor mais comum;

– os namorados das mães estão em segundo lugar;

– babás em um terceiro plano;

– depois as mães e os padrastos.

Profilaxia

São importantes as orientações prestadas por profissionais da saúde (pediatras, neonatologistas) aos cuidadores (pais, babás, tios, avós, etc.) quanto aos riscos de se sacudir uma criança.

Nunca, nem por brincadeira nenhuma, por castigo ou por qualquer motivo, um bebê deve ser sacudido.

Aos médicos pediatras cabe lembrar-se dessa síndrome, para quando em atendimentos nas emergências poder reconhecer os seus sinais clínicos, e nos atendimentos de puericultura nos consultórios poder oferecer aos cuidadores (principalmente os de risco), orientações direcionadas aos cuidados com esta síndrome.

 

 

Essa imagem é de um bebê de apenas duas semanas de vida em um salto mortal com a "professora" russa Lena Fokina. Essa imagem impressionante tirada em 26 de dezembro de 2012 já comoveu milhares de pessoas ao redor do mundo.

Essa imagem é de um bebê de apenas duas semanas de vida em um salto mortal com a “professora” russa Lena Fokina.
Essa imagem impressionante tirada em 26 de dezembro de 2012 já comoveu milhares de pessoas ao redor do mundo.

Não tem como ver essa imagem e não sentir um aperto no coração pelo bebezinho que mais parece um boneco nos braços dessa mulher.

Não tem como ver essa imagem e não sentir um aperto no coração pelo bebezinho sendo girado como um boneco por essa mulher.

Convido todas vocês a difundir essas informações a fim de evitar que uma “simples brincadeira” ou tentativa de acalmar o bebê tenha um final tão trágico. Vale compartilhar no Facebook, Instagram, Twitter, por email ou no boca-a-boca mesmo.

Esse simples ato com certeza salvará vidas!

Clique aqui para ter acesso a um resumo de artigos científicos sobre SBS, inclusive artigos de Cafrey, o descobridor da síndrome.

Amor & Luz,

Lala Cerri

 


Newsletter

Acompanhe nas redes sociais!

Compartilhe



Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *
Comente via Facebook

Comentários desativados